Design jurídico como forma de efetivação da proteção de dados pessoais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22477/rdj.v114i00.881

Resumo

Objetivo: o trabalho visa examinar as contribuições do design jurídico como disciplina capaz de viabilizar a efetivação da proteção de dados pessoais, com fundamento no empoderamento do titular, por meio da apresentação de informações de forma clara, permitindo o efetivo e amplo exercício da autonomia no momento da outorga do consentimento, especialmente quando se trata de relação de consumo. Método: a pesquisa enquadra-se no plano teórico, jurídico-dogmático e jurídico-sociológico, tanto por meio da análise bibliográfica quanto por meio da abordagem empírica da aplicabilidade do design jurídico como forma de efetivação de proteção de dados. Em um primeiro momento, será apresentado o atual contexto social, bem como situada a inserção dos dados pessoais na economia da informação. Na sequência, será analisado o histórico de surgimento da LGPD, destacando-se o regime jurídico dessas relações, em especial no que diz respeito ao princípio da transparência e à promoção da autonomia do titular de dados quanto ao consentimento. A terceira etapa será destinada a um estudo de caso, envolvendo a aplicação do design jurídico na elaboração de política de privacidade, como forma de tornála compreensível aos usuários, para demonstrar de que forma o design jurídico pode contribuir para a proteção dos dados pessoais. Resultado: com base na aplicação de elementos de design, demonstra-se, na prática, a contribuição dessa nova disciplina na efetivação das políticas de proteção de dados, à luz da transparência, segundo resultados verificados no caso concreto, que envolvem o tratamento da informação, aplicando-se linguagem mais acessível, e definindo a hierarquia dessas políticas.

Biografia do Autor

Alice Dias Navarro, Advocacia

Mestre em Direito pelo Centro Universitário de Brasília – UniCeub/DF.
Advogada.

Wilson Sampaio Sahade Filho, Advocacia

Doutorando em Direito pelo Centro Universitário de Brasília – UniCeub/DF.
Advogado.

Referências

BARROSO, Luís Roberto. Revolução tecnológica, crise da democracia e mudança climática: limites do direito num mundo em transformação. REI - Revista Estudos Institucionais, [s. l.], v. 5, n. 3, p. 1262-1313, set./dez. 2019. Disponível em: https://www.estudosinstitucionais.com/REI/article/view/429. Acesso em: 20 dez. 2022.

BESSA, Leonardo Roscoe. Nova Lei do Cadastro Positivo. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2019. 300 p.

BIONI, Bruno Ricardo. Inovar pela lei: a formação de uma cultura de proteção de dados a partir da nova legislação pode trazer valor agregado para as organizações. GVExecutivo, São Paulo, v. 18, n. 4, p. 30-33, jul./ago. 2019. Disponível em: https://periodicos.fgv.br/gvexecutivo/issue/view/4406/2397. Acesso em: 20 dez. 2022.

BIONI, Bruno Ricardo. Xeque-Mate: o tripé da proteção de dados pessoais no jogo de xadrez das iniciativas legislativas no Brasil. Projeto de Pesquisa, Privacidade e Vigilância. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: http://gomaoficina.com/wp-content/uploads/2016/07/XEQUE_MATE_INTERATIVO.pdf. Acesso em: 20 dez. 2022.

BRASIL. Conselho Nacional de Justiça. Relatório Justiça em Números 2022. Brasília: CNJ, 2022. Disponível em: https://www.cnj.jus.br/wp-content/uploads/2022/09/justica-em-numeros-2022-1.pdf. Acesso em: 20 dez. 2022.

BRASIL. Conselho Nacional de Justiça. Programa Justiça 4.0. Brasília: CNJ, 2021. Disponível em: http:// https://www.cnj.jus.br/tecnologia-da-informacao-e-comunicacao/justica-4-0/. Acesso em: 20 dez. 2022.

BRASIL. Lei nº 13.709, de 14 de agosto de 2018. Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD). Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2018. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2018/lei/L13709.htm. Acesso em: 20 dez. 2022.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal (Plenário). Referendo na Medida Cautelar na Ação Direta de Inconstitucionalidade 6.389 Distrito Federal. Relatora: ministra Rosa Weber, 7 maio 2020. Diário da Justiça eletrônico,Brasília, DF, 12 nov. 2020. Disponível em: https://portal.stf.jus.br/servicos/dje/listarDiarioJustica.asp?tipoPesquisaDJ=AP&classe=ADI&numero=6389#. Acesso em: 20 dez. 2022.

CABINET OFFICE, GOVERNO DO JAPÃO. Society 5.0. Tóquio, [2016?]. Disponível em: https://www8.cao.go.jp/cstp/english/society5_0/index.html. Acesso em: 20 dez. 2022.

DONEDA, Danilo. A proteção de dados pessoais nas relações de consumo: para além da informação creditícia. Brasília: SDE/DPDC, 2010. 121 p.

DONEDA, Danilo. A proteção dos dados pessoais como um direito fundamental. Espaço Jurídico Journal of Law [EJJL], [s. l.], v. 12, n. 2, p. 91–108, 2011. Disponível em: https://periodicos.unoesc.edu.br/espacojuridico/article/view/1315. Acesso em: 20 dez. 2022.

DONEDA, Danilo. Da privacidade à proteção de dados pessoais. Rio de Janeiro: Renovar, 2006.

FRAZÃO, Ana. Data-driven economy e seus impactos sobre os direitos de personalidade: indo além da privacidade e do controle aos dados pessoais. JOTA, São Paulo, 2018a. Disponível em https://www.jota.info/opiniao--e-analise/colunas/constituicaoempresa-e-mercado/data-driven-economy-e-seus-impactos-sobre-os-direitos-de-personalidade-17072018. Acesso em: 20 dez. 2022.

FRAZÃO, Ana. Nova LGPD: principais repercussões para a atividade empresarial. JOTA, São Paulo, 2018b. Disponível em: https://www.jota.info/opiniao-e-analise/colunas/constituicao-empresae-mercado/nova-lgpd-principais-repercussoes-para-a-atividade-empresarial- 29082018#sdfootnote1sym. Acesso em: 20 dez. 2022.

GIACOMINI, Charles Jacob. Uma nova ética para a linguagem jurídica. Direito Hoje, Porto Alegre, n. 29, 4 out. 2021. Disponível em: https://www.trf4.jus.br/trf4/controlador.php?acao=pagina_visualizar&id_pagina=2216. Acesso em: 20 dez. 2022.

GUIDI, Guilherme Berti de Campos. Modelos regulatórios para proteção de dados pessoais. Site ITSRIO, Rio de Janeiro, 2017.

Disponível em: https://itsrio.org/wp-content/uploads/2017/03/Guilherme-Guidi-V-evisado.pdf.

Acesso em: 20 dez. 2022.

HABERMAS, Jürgen. Teoria de la Acción Comunicativa. Tradução: Manuel Jiménez Redondo. Madrid: Taurus, 1988.

HAGAN, Margaret. Law by design. Site Law by Design, Estados Unidos, 2015. Disponível em: https://lawbydesign.co/legal-design/. Acesso em: 20 dez. 2022.

HOFFMANN-RIEM, Wolfgang. Innovaciones en La Jurisprudencia del Tribunal Constitucional Alemán, a Propósito de la Garantía De Los Derechos Fundamentales En Respuesta A Los Cambios Que Conducen A La Sociedad De La Información. ReDCE, Granada, Espanha, n. 22, p. 123-146, jul./dez. 2014. Disponível em:

https://www.ugr.es/~redce/REDCE22pdf/ReDCE22.pdf. Acesso em: 20 dez. 2022.

MABEY, Richard. Privacy by Design: Building a Privacy Policy People Actually Want to Read. Site Artificial Lawyer, Reino Unido, 2018. Disponível em: https://www.artificiallawyer.com/2018/05/02/privacy-by-design--building-a-privacy-policy-people-actually-want-to-read/. Acesso em: 20 dez. 2022.

MANZINI, Ezio. Design - Quando todos fazem design: uma introdução ao design para a inovação social. Tradução: Luzia Araújo. São Leopoldo, RS: Editora Unisinos, 2017. 254 p.

MAYER-SCHÖNBERGER, Viktor. CUKIER, Kenneth. Big Data: A revolution will transform how we live, work and think. New York: Houghton MifflinHarcourt, 2013. 256 p.

MENDES, Laura Schertel. Transparência e Privacidade: violação e proteção da informação pessoal na sociedade de consumo. Orientador: Cristiano Otávio Paixão Araújo Pinto. 2008. 156 f. Dissertação (Mestrado em Direito) – Faculdade de Direito, Universidade de Brasília, Brasília, 2008. Disponível em: http://repositorio.unb.br/handle/10482/4782. Acesso em: 20 dez. 2022.

MONTEIRO, Ana Lídia Silva Mello; JAHNEL, Marta Regina. Linguagem jurídica e acesso à justiça: a facilitação do direito de acesso à informação – uma terceira onda. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE DEMOCRACIA E CONSTITUCIONALISMO, 12., 2019, San Vicente del Raspeig, Alicante, Espanha. Anais [...]. Itajaí: Editora Univali, 2019. p. 209-226. Disponível em: https://periodicos.univali.br/index.php/acts/article/view/16618. Acesso em: 20 dez. 2022.

NAVARRO, Alice. Design jurídico como política pública de acesso à justiça. 2023. Tese (Mestrado em Direito). Centro Universitário de Brasília, CEUB. Brasília, 2023.

NIEMEYER, Lucy. Design no Brasil: origens e instalação. 4. ed. Rio de Janeiro: 2AB, 2007. 136 p.

NISSENBAUM, Helen. Privacy in Context: technology, policy, and the integrity of social life. Redwood City, California: Stanford University Press, 2010. 288 p.

OLIVEIRA, Adriana Carla Silva; MOTTA, Daniel Beltran; MELO, Josemar Henrique de; ESTEVES, Rita de Cássia São Paio de Azeredo. Empoderamento digital, proteção de dados e LGPD. Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação e Biblioteconomia, João Pessoa, v. 15, n. 3, p. 247-261, 2020. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/download/151476. Acesso em: 20 dez. 2022.

REALE, Miguel. Lições Preliminares de Direito. 21. ed. São Paulo: Saraiva, 1994. 381 p.

SCHWAB, Klaus. A Quarta Revolução Industrial. Tradução: Daniel Moreira Miranda. São Paulo: Edipro, 2019.

SUSSKIND, Richard. Online courts and the future of justice. New York: Oxford University Press, 2019. 368 p.

THE JURO PRIVACY POLICY. Juro. [S. l.], 2021. Disponível em: https://juro.com/privacy. Acesso em: 20 dez. 2022.

UNESCO. Japan pushing ahead with Society 5.0 to overcome chronic social challenges. [S. l.], 2019. Disponível em: https://www.unesco.org/en/articles/japan-pushing-ahead-society-50-overcome-chronic-social-challenges. Acesso em: 20 dez. 2022.

UNIÃO EUROPEIA. European Commission. Opinion 06/2014 on the notion of legitimate interest of the data controller under article 7 of Directive 95/46/EC. Brussels, Bélgica, 9 abr. 2014. Disponível em: https://ec.europa.eu/justice/article-29/documentation/opinion-recommendation/files/2014/wp217_en.pdf. Acesso em: 20 dez. 2022.

UNIÃO EUROPEIA. The European Parliament and The Council of the European Union. Regulation (EU) 2016/679 of the European Parliament and of the Council of 27 April 2016. Strasbourg, França, 25 maio. 2018. Disponível em: https://gdpr.eu/article-12-how-controllers-should-provide-personal-data-to-the-subject. Acesso em: 20 dez. 2022.

WOLKART, Erik Navarro. Análise econômica do Processo Civil. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2020. Disponível em: https://proview.thomsonreuters.com/launchapp/title/rt/monografias/174115839/v2/page/RB-1.1. Acesso em: 20 dez. 2022.

Downloads

Publicado

2023-09-28

Como Citar

DIAS NAVARRO, A.; SAMPAIO SAHADE FILHO, W. Design jurídico como forma de efetivação da proteção de dados pessoais. Revista de Doutrina Jurídica, Brasília, DF, v. 114, n. 00, p. e023010, 2023. DOI: 10.22477/rdj.v114i00.881. Disponível em: https://revistajuridica.tjdft.jus.br/index.php/rdj/article/view/881. Acesso em: 22 fev. 2024.